domingo, 27 de junho de 2010

COMO PERDER A TIMIDEZ

A timidez é um mal que atinge milhares de pessoas no mundo todo. Não há estatísticas muito precisas sobre quantos são os tímidos, pois toda vez em que o entrevistador começa a fazer as perguntas, eles fogem de vergonha. Você parou para pensar em quantas oportunidades já perdeu simplesmente por causa da timidez? Quantas noites de sexo intenso, quantas promoções no trabalho, quantos amigos, quantas coisas divertidas deixou de fazer? Pensando bem, melhor não pensar nisso não, pois você vai ficar com mais vergonha ainda e nunca mais sai de casa. Muita gente acha que a timidez é causada pela insegurança. Eu não concordo. Alguém que segura as emoções, segura as palavras e segura as atitudes pode ser acusado de tudo, menos de falta de segurança. Para mim, é o contrário. Todo tímido é um arrogante disfarçado (disfarçado, claro, pois ele é tímido). Ora, um sujeito que julga que suas palavras e atitudes são tão importantes que devem ser mantidas longe das outras pessoas é um grande deslumbrado: não suporta rejeição ou críticas. Então, se você é tímido, toma vergonha nessa cara e deixa de arrogância.

A timidez só pode ser vencida se for encarada de frente (não baixe os olhos, seu tímido). Uma boa e muito conhecida técnica é tomar uma bebidinha. Depois de duas ou três doses, você já está falando pelos cotovelos. O problema aí é outro: ninguém entende o que você está balbuciando. Mas que você fala, isso fala.

Alguns não são totalmente tímidos. Ficam assim apenas perto de determinadas pessoas. Pode ser o chefe, um amor platônico ou um ídolo. Isso é normal, pois você idealiza essas pessoas e esquece que eles são normais, iguazinhos a você (quando não, piores). Lembre-se que essa gente faz cocô, assoa o nariz e o pior: lê textos de auto-ajuda. Só não exagere na imaginação para essa timidez não se transformar em desilusão.

Se você está apaixonado e morre de medo da rejeição, lembre-se que você já superou outros medos antes. O medo do lobisomem, do monstro do armário, do homem do saco e da mula sem cabeça. Enfim, o objeto de sua paixão não deve tão assustador quanto eles. E, se for, melhor que você continue sem se declarar mesmo.

A raiz da sua timidez pode estar numa educação muito rígida recebida na infância. Alguns pais realmente podam os filhos e os impedem de tomar qualquer decisão. Não deixam nem que eles escolham as próprias roupas. Mas agora você está crescido. Rasgue sua roupinha de marinheiro e acorde para a vida. Pegue a sua mesada e gaste tudo na farra. Você é ou não é o orgulho da mamãe, cute-cute?

Outro problema de infância que pode resultar em timidez é ser ridicularizado pelos amiguinhos. Crianças são muito cruéis e podem acabar umas com as outras. Principalmente com apelidos. Mas fique tranqüilo. Não é porque você é baixinho, narigudo, gordo, sardento, burro, vesguinho, gago, fanho e tem as pernas tortas, que não pode vencer na vida. Aliás, você acredita em reencarnação?

Existe também o falso tímido. Aquele sujeito que, no dia-a-dia, quase não fala com ninguém e passaria despercebido, se não fosse tão absurdamente discreto. Por exemplo, aquele sujeito que trabalha no financeiro da firma, que é extremamente tímido. Um belo dia, você liga a televisão e lá está ele no sambódromo, completamente embriagado, vestido de havaiano e agarrado a uma mulata e a uma travesti ruiva. Ambas seminuas.

Finalmente, o último tipo de tímido é aquele que não fala muito porque só pensa besteira. Se começar a falar tudo o que pensa vai acabar ofendendo um monte de gente, arranjando discussão à toa. Este é o pior tipo de tímido que tem. Como não consegue sair por aí falando tudo o que quer, não raro cria um blog e escreve suas bobagens nele.