segunda-feira, 17 de maio de 2010

Ridendo castigat mores


Essa expressão latina, que significa rindo se criticam os costumes, foi criada por Molière no século 17. Naquela época de absolutismo monárquico e perseguição religiosa, somente era possível criticar os costumes, a igreja ou os políticos através de comédias ou sátiras escritas. Essa forma de disfarçar a crítica é antiga. Na Idade Média, onde a repressão era ainda pior, a crítica à Igreja era feita em quadros e esculturas representando padres bêbados ou em poses comprometedoras. Por ironia, mesmo nas igrejas havia tais esculturas e quadros. Um exemplo clássico do Brasil, foi o Jornal da Tarde. Na época da ditadura, quando o governo militar censurava uma notícia, eles colavam no lugar uma receita de culinária, mesmo que fosse na primeira página. Já o Estadão substituía a notícia censurada por trechos de Os Luzíadas. Mesmo sem repressão ou censura, o humor é uma maneira indireta de criticar os costumes. As fábulas da antigüidade e os programas humorísticos da TV atual são exemplos. Na verdade, o bom-humor é mais que isso. É uma técnica bastante eficiente para divulgar aquilo que não se tem coragem de falar às claras ou aquilo que o interlocutor teria melindre de ouvir. Ou, simplesmente, uma maneira mais fácil de expressar um reciocínio complicado. Comece a semana de bom-humor!