sábado, 13 de março de 2010

Evoluimos?

Além de uma pergunta difícil de ser respondida de imediato e até mesmo provocadora, pode também ser considerada como um auto questionamento, uma inquietude, um grito, uma dúvida cruel diante de fatos e acontecimentos marcantes ou para muitos uma pergunta simplesmente sem sentido. Mas, afinal, evoluimos? Ou paramos no tempo, no espaço, nos acomodamos, aceitamos tudo pronto, nos deixamos guiar? Perguntas, a princípio somente elas.